Serviços Dicas Palestras
O que é a Leitura Crítica
Avaliar um original, seja um quadro, uma composição musical ou um livro, é sempre uma tarefa subjetiva. Por mais que tentemos objetivar a análise, dividindo a obra e analisando-a sobre diferentes aspectos, ainda assim sempre resta uma grande dose de subjetividade, sendo portanto o resultado, em última instância, uma visão pessoal do avaliador. O que torna uma leitura crítica valiosa é ter uma posição de um leitor que não dará sua opinião simplesmente para agradar o autor, pelo contrário, ele estará procurando falhas que possam comprometer original. Obviamente, as opiniões do leitor crítico se baseiam em sua experiência como leitor e, inevitavelmente, podem ser influenciadas por seu gosto pessoal; de forma que sua opinião não é um atestado de qualidade (ou de falta desta); mas sim pontos de partida para que o autor veja sua obra por outros olhos e possa, caso desejado, burilá-la para torná-la mais palatável ao leitor.

Tópicos avaliados
Os tópicos a seguir avaliam seu original por diversos prismas diferentes, visando dar-lhe subsídios para eventuais ajustes.
bullet Coesão - A coesão se refere à integração entre frases, parágrafos, capítulos, e tramas do livro, indicando se o autor mantém uma linha narrativa que facilita a leitura, ou se dá “pulos” que podem vir a confundir o leitor.
bullet Consistência - A consistência se refere à qualidade da obra de manter a mesma “voz” ou forma narrativa em sua totalidade, ou dentro de cada trama que eventualmente justifique “vozes” diferentes.
bullet Coerência - A coerência se refere à capacidade do autor de criar uma realidade coerente para sua história, sem “surpresas” que pareçam não se encaixar na realidade apresentada. Está intimamente ligada à suspensão da descrença.
bullet Concisão - A concisão se refere à qualidade do texto de ser conciso, não apresentando “pontas soltas” ou divagações que não contribuem para a história como um todo. Também é conciso o texto que evita rodeios e que não peca pelo excesso de detalhes, pontos estes que impactam no ritmo da leitura.
bullet Clareza - A clareza indica se o texto é ou não facilmente lido. Textos rebuscados, com excesso de palavras eruditas ou excesso de detalhes inter-relacionados pecam pela falta de clareza, embora a falta de clareza por si só não possa ser usada como um indicativo da qualidade da obra.
bullet Cadência - A cadência, ou ritmo, do texto é resultante da velocidade de leitura sugerida pela fluidez e clareza do texto, e pela organização das tramas e capítulos. A cadência está associada a diversas outras características do texto, incluindo a concisão e a consistência.
bullet Correção - A avaliação da correção visa indicar se a obra precisa ou não de uma revisão profissional.
bullet Diagramação - A avaliação da diagramação só é realizada quando o original entregue já está diagramado.
bullet Linguagem - A avaliação da linguagem ou “voz narrativa” visa indicar se há alguma característica específica da linguagem que se destaca no livro, e que com isso ajuda ou prejudica a leitura.
bullet Suspensão da descrença - A “suspensão da descrença” é o somatório de todas as características do original, indicando se ele consegue garantir a apropriada imersão do leitor na obra, ou se, por algum motivo, o leitor se sente “de fora” da narrativa.
bullet Conclusão - Na conclusão, o leitor crítico dá suas impressões gerais sobre a obra, ressaltando os pontos fortes e os pontos que precisam ser mais trabalhados pelo autor.
Voltar